A data traz um impacto bastante positivo aos mais variados segmentos, mas ainda faltam cuidados com o consumidor na Black Friday. Mesmo com as empresas se tornando cada vez mais preparadas, os consumidores já sabem quais compras devem evitar. Consagrada no varejo dos Estados Unidos há anos, a ação promocional chegou por aqui somente em 2010. Nessa primeira versão, de acesso ainda limitado aos consumidores, o comércio eletrônico conseguiu movimentar cerca de R$ 3 milhões.

Ainda que tenha surgido um pouco tímida, a Black Friday vem crescendo ano a ano no Brasil. As vendas em 2019, por exemplo, superaram as expectativas e alcançaram a marca de mais de R$ 3 bilhões, isso sem contar o faturamento de lojas físicas.

Muitos comerciantes e prestadores de serviços encaram a data com ardileza e, de certa forma, querem se aproveitar de quem pretende fazer compras. Nada de vendas casadas ou descontos que valem a metade do dobro: continue a leitura do nosso texto e confira os principais cuidados com o consumidor na Black Friday.

Black Friday: cuidados com o consumidor

A Black Friday já é uma das datas mais esperadas pelos consumidores. Como já dissemos aqui em outro texto, a movimentação comercial desse dia fica atrás apenas das compras de Natal. Afinal, quem não quer aproveitar a chance de comprar com descontos?

Infelizmente, aqui no Brasil, por conta dos primeiros anos da ação, a data acabou levando o apelido de “Black Fraude”, relacionado às empresas que quiseram sair por cima com propaganda enganosa ou descontos falsos.

Por isso, preparamos este artigo com várias dicas e boas práticas para que você tenha cuidados com o consumidor na Black Friday. Continue com a gente: o dia 27 de novembro está chegando.

Cuidado com a Black Fraude

“Metade do dobro”. É assim que algumas pessoas ainda veem os preços da Black Friday. Essa visão nada positiva se dá por conta das lojas que costumam aumentar os preços na véspera da ação e, então, prometer “descontos” maiores.

Se lá no início isso funcionou, saiba que hoje os brasileiros estão sempre atentos e é praticamente impossível criar qualquer tipo de armadilha. Até mesmo sites especializados, como o Reclame Aqui, ficam de olho em quem tenta lesar os consumidores.

O marketing negativo que esse tipo de ação gera em um único dia pode abalar a imagem da sua empresa pelo restante do ano. Por isso, não crie falsos descontos ou qualquer outro tipo de propaganda enganosa: mais vale conquistar novos clientes do que tentar lucrar com a situação.

Atenção ao estoque

Esse é mais um problema que pode prejudicar a imagem da sua empresa. Em uma data como a Black Friday, com alto poder de vendas, mantenha seu estoque sob controle e certifique-se de conseguir entregar tudo aquilo que anuncia.

Se você tem mais de um ponto de venda — atenção — garanta que matriz e filiais mantenham-se em contato ao longo de toda a ação promocional, seja essa realizada em uma semana ou apenas na sexta-feira.

Para evitar dor de cabeça já existem soluções tecnológicas. Aqui na WCS, por exemplo, você encontra o MPLS On que oferece alto desempenho de tráfego de dados, voz e imagens entre pontos distintos de uma organização, tal como entre todas as suas lojas físicas, em uma rede segura, privada e estável.

Nada de propaganda enganosa

Talvez a forma mais desrespeitosa de tratar o seu cliente seja criando propagandas falsas. Algumas empresas divulgam ótimos descontos em produtos ou serviços que, na verdade, nem existem. A tática é usada para atrair o público até o site ou loja física.

E outro ponto que pode prejudicar as vendas na Black Friday é não acertar o público para seus produtos ou serviços. Antes de qualquer ação, busque compreender quem são os seus compradores e o que eles estão procurando. Se puder criar promoções personalizadas, então, o sucesso pode ser ainda maior.

Ambiente virtual inseguro

Se a internet já pode ser perigosa no dia a dia, imagine em uma data em que tudo gira em torno de compras e vendas. Você vai precisar garantir a sua segurança e a de seus consumidores, portanto, comece desde já a pensar em formas de se proteger dos ataques virtuais. Quanto mais seu site parecer seguro, mais compradores irá convencer.

Na WCS você encontra solução para manter sua rede segura, principalmente nessa data tão importante, o Firewall + é um dispositivo de segurança que monitora a entrada e saída de dados da rede corporativa, de acordo com as regras de segurança definida.

Baixa qualidade

Nada é mais frustrante do que comprar um produto ou contratar um serviço com descontos e, na hora da verdade, descobrir que a qualidade deixa a desejar. Não tente compensar os preços baixos com produtos de características inferiores.

Nesse caso, ainda que não consiga oferecer preços muito atrativos, você pode se destacar de seus concorrentes por meio de bom atendimento, qualidade nos produtos ou serviços, entrega dentro do prazo e muitos outros cuidados com o consumidor na Black Friday.

Troca ou devolução complicada

Essa é uma das reclamações que mais tira a paciência dos consumidores depois de uma Black Friday. A dica aqui é: deixe bem claro, desde o início da venda, quais são as políticas de troca ou devolução de seus produtos. Não crie expectativas erradas em seu público.

Quando um cliente se sente enganado por determinada empresa, com certeza, ele divulga essa insatisfação. Nessa era tão digital, você não quer ver seu negócio sendo exposto em mídias sociais ou sites de reclamação por falta de informações claras.

E a questão de troca, devolução ou desistência é tão séria que, para te ajudar na Black Friday, criamos um tópico apenas sobre esse assunto. Confira a seguir e saiba como manter os principais cuidados com o consumidor.

Black Friday: Código de Defesa do Consumidor

O direito do consumidor faz parte do nosso dia a dia, seja quando estamos comprando um produto, contratando um serviço ou mesmo na posição de vendedores ou fornecedores.

E, ainda assim, todos temos dúvidas sobre a legislação que protege quem está fazendo uma aquisição e quais são os deveres e direitos de quem entrega os produtos e serviços.

Podemos começar sabendo que o direito do consumidor é um conjunto de regras e ordens jurídicas que trata das relações de consumo, ou seja, do combinado entre consumidor e fornecedor, seja de qualquer área. Esse direito, portanto, conta com o Código de Defesa do Consumidor, um regramento específico.

Vamos conhecer agora as principais leis do código de defesa do consumidor?

Garantia

Um dos direitos mais conhecidos e cobrados pelos consumidores. A lei prevê que o fornecedor deve oferecer garantia por um produto, mesmo que isso não esteja acordado contratualmente. O prazo, contudo, varia se o bem é durável ou não.

Troca

O consumidor sempre pode exigir a troca do produto se esse estiver com defeito de fabricação. No caso, o fornecedor tem 30 dias para resolver o problema encontrado. Após tal prazo, o comprador lesado pode exigir a troca do produto, o abatimento no preço ou a devolução do valor pago.

Propaganda

Todos os consumidores estão protegidos contra propaganda falsa ou abusiva. Inclusive, propaganda enganosa é crime de acordo com o Código de Defesa do Consumidor. Jamais divulgue algo, como valor ou desconto, que não será cumprido.

Precificação

Outro direito bastante conhecido é em relação à precificação. O preço indicado na etiqueta do produto, por exemplo, é o que deverá ser cobrado no caixa. Em dias de oferta, como na Black Friday, em que tudo pode virar uma correria, vale ter atenção redobrada com os valores que são exibidos na loja.

Venda casada

É proibida por lei, mas ainda assim diversos empresários tentam se aproveitar de tal “oferta”. Uma venda é considerada casada quando o consumidor é obrigado a adquirir um produto para comprar ou ter desconto em outro. A prática é bastante utilizada na Black Friday, mas tome cuidado: os consumidores estão mais atentos.

Cláusulas abusivas e sem cuidados com o consumidor

A dica agora também vale para quem presta serviços. Todos os contratos devem ser redigidos de forma clara e de fácil entendimento do consumidor. Ou seja, todos têm direito de compreender o que estão aceitando.

O Código de Defesa do Consumidor veta cláusulas abusivas mesmo em contratos de adesão, quando o cliente não pode discutir os termos. Portanto, não tente colocar seu usuário em posição de desvantagem em nenhum momento.

Compras pela internet ou telemarketing

Para finalizar, vamos falar sobre os direitos de quem faz compras on-line. Toda aquisição feita fora de um estabelecimento físico, ou seja, pela internet ou por serviços de telemarketing, tem o prazo de 7 dias para que o consumidor desista. Caso se arrependa, o comprador pode devolver o produto e requerer a devolução do valor pago. O retorno do pagamento deve incluir as taxas de frete.

Cuidados com o consumidor na prática

Agora que você já conhece todos os cuidados com o consumidor, chegou a hora de se preparar para a Black Friday deste ano. Criamos um e-book especial com diversas dicas e soluções para que o seu negócio faça um grande sucesso. E na hora de contratar a melhor estrutura para sua empresa, entre em contato com nossos especialistas e confira todas as soluções WCS Conectologia.