Já nos acostumamos com uma internet mais rápida, que permite altas taxas de transferência de dados. Afinal, faz tempo que a revolução trazida pelo wi-fi e pela fibra ótica permitiram uma navegação melhor para usuários ao redor do mundo.

Mas toda tecnologia pode ser aprimorada, e quem não gostaria de ainda mais velocidade e maior capacidade de processamento ao usar serviços on-line? Pois agora isso será possível graças a uma equipe de cientistas da University College London, que descobriu uma forma de aumentar drasticamente as taxas de transferência em cabos de fibra ótica.

Como foi possível?

A taxa de transferência máxima de dados em um cabo de fibra ótica é medida por uma função entre a largura de banda do sinal da conexão e a relação sinal-ruído dependente do comprimento de onda que é transmitido por este cabo. De modo bem simplificado: é a razão entre a capacidade de transmissão num determinado tempo (velocidade) e eventuais “interferências” (ruídos) que podem incidir sobre o sinal da conexão.

O que os pesquisadores fizeram foi investigar o uso de tipos específicos de amplificadores de ondas e de fibra ótica para permitir o ganho de sinal de banda larga. Isso fez que eles alcançassem um recorde de transmissão de 178.08 terabits por segundo (Tbps). Essa descoberta, se implementada, poderia aumentar radicalmente, a longo prazo, as velocidades da internet nas residências, levando a novos e melhores negócios de banda larga ultrarrápida.

O que significa esse aumento na velocidade?

Para entender melhor este recorde de velocidade de transmissão de dados alcançado pelos cientistas, precisamos entender que 178.08Tbps é igual a uma taxa de 22.    25TB/s (1 terabit = 0,125 terabytes). Ou seja: a conexão atingida pelos testes é capaz de transferir em 1 segundo o equivalente ao conteúdo de 222 CDs de Blu-ray em Ultra HD.

Para se ter uma ideia, esta incrível marca conquistada pelo time da UCL supera em muito o recorde anterior de transferência de dados, que era de 42.2Tbps (ou 5.5TB/s). A nova pesquisa permitiu aumentar essa taxa em 4 vezes.

Se o método descoberto pelos cientistas puder ser implementado de maneira comercialmente viável, ele pode ajudar a construir redes de backhaul usadas para conectar torres 4G e 5G, datacenters, lojas e residências. Isso significa que os provedores de internet podem oferecer velocidades mais altas para negócios de banda larga a cabo e sem fio e com fio.