1. Internet cada vez mais necessária

Até 2024, 80% da população global terão uma identidade digital. Em alguns lugares, será impossível  sobreviver sem estar conectado à internet. Por causa disso, a tecnologia 5G ganhará protagonismo para ampliar o fornecimento das conexões móveis, além da melhoria do sinal.

Ao facilitar a conexão entre as mais diversas informações, o dia a dia das empresas e demais instituições ganhará mais agilidade em um ritmo que poderá ser reproduzido de maneira eficiente para os demais segmentos da sociedade.

O setor de saúde, por exemplo, poderá se beneficiar de maneira mais rápida na troca de informações sobre seus pacientes, que será fundamental para atender casos de urgência. O consumidor também poderá ser beneficiado, uma vez que as redes varejistas poderão disponibilizar produtos  de ponta e de qualidade na renovação de seus estoques. Finalmente, a agilidade do 5G vai representar uma alternativa muito importante em um mundo cada vez mais conectado, gerando mudanças em cadeia e que darão suporte aos avanços já obtidos, além de abrir caminho para a implementação de avanços em pesquisa e desenvolvimento.

2. Carros autônomos

Cerca de 10% da frota dos EUA será de veículos autônomos até 2026. Diversas montadoras possuem testes em estágios bem avançados. As pessoas, por exemplo, poderão entrar em táxis, dizer o endereço e serem levadas até o destino, tudo isso sem a presença de um motorista humano. Carros autônomos representam mais segurança no trânsito e diminuição da emissão de poluentes. Para se ter uma ideia, a Audi, montadora alemã, planeja gastar cerca de US$ 16 bilhões em tecnologia autônoma e sustentável até 2023.

Os esforços estão sendo realizados principalmente pelo Autonomous Intelligent Driving (AID), equipamento de tecnologia autônomo da Audi lançado em 2017. A operação, sediada em Munique, na Alemanha, e com mais de 200 funcionários, está atualmente testando 12 veículos autônomos em vias públicas da cidade. A Audi está começando a atrair novos parceiros de tecnologia para agilizar seus prazos. A empresa já anunciou que a AID faria parceria com a Luminar, fabricante do Vale do Silício de sensores e software de percepção que já trabalha com outras grandes marcas como Volvo e Toyota.

3. Roupas inteligentes

Diversas peças do nosso vestuário ganharão chips em poucos anos e serão capazes de se adequar à temperatura ambiente, aquecendo ou refrescando os corpos, além de fornecer informações sobre os mesmos. Em regiões de muito calor, há dias em que precisamos sair  de casa e tudo o que mais desejamos era uma forma de levar o ar-condicionado de nossas casas, carros e escritórios também para a rua. E é justamente isso que alguns cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts estão desenvolvendo.

Usando um processo similar à impressão 3D, eles inseriram microorganismos vivos em materiais sintéticos, para introduzir em tecidos a bactéria Bacillus subtilis. Essa bactéria, utilizada em processos de fermentação, emite partículas que reagem ao calor e à umidade, e que são usadas pelos cientistas para controlar um sistema de respiro do tecido. Caso o corpo esteja muito quente, abrem-se diversos respiradouros no tecido, que ajudam a refrescar a pele e na liberação de calor para o ambiente.

4. Inteligência artificial

Padronizar, escalar e manter a qualidade nas grandes operações de atendimento é um processo repleto de desafios, além de caro. É desafiador atender o cliente quando ele mais precisa que seja atendido e isso pode ser na primeira hora ou tarde da noite, a maioria das vezes fora do horário comercial, quando as posições de atendimento estão indisponíveis ou reduzidas.

Isso não é problema para uma assistente inteligente equipada com IA. Ela estará disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano, inclusive feriados. A automação do atendimento é uma realidade que caminha a passos largos, no entanto temos que analisar o estágio que  a tecnologia se encontra nos dias de hoje. Muita gente chegou a pensar que bastaria plugar um device de IA no seu SAC e tudo estaria resolvido. Mas hoje o mercado já está mais maduro e entende com essa tecnologia funciona, isto é automatizando inicialmente aquilo que geralmente consome a maior parte da operação de atendimento.

5. Impressão 3D

De objetos a órgãos de seres vivos, tudo poderá ser impresso em 3D. Desta forma podemos acreditar que a área médica será a mais beneficiada. Com órgãos sendo impressos em 3D, as pessoas não precisarão esperar por doações. Apesar de ainda não ser uma realidade, a impressão 3D promete influenciar diretamente na área da saúde. Equipes da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, já começaram a produzir vasos e artérias por meio da tecnologia. Algumas características, como a elasticidade, ainda impossibilitam a aplicação da técnica em pacientes, mas as pesquisas são promissoras.

6. Supercomputadores de mão

Os celulares usados atualmente são muito mais potentes que os primeiros PCs e essa evolução não vai parar. Em poucos anos, você terá um smartphone mais complexo que o computador mais rápido com o qual já teve contato.   De acordo com um renomado pesquisador norteamericano ouvido pelo site Computerworld, um smartphone com multiprocessadores terá potencial suficiente para se tornar o principal computador dos usuários, uma vez que além de portátil, ele estará sempre conectado em função do chip de rede móvel. A estimativa é de que os usuários já poderão comprar estes dispositivos com esta tecnologia em menos de cinco, ao mesmo tempo em que desenvolvedores também começam a criar aplicações que processam em múltiplos núcleos.

Fonte: Jornal Correio Brasiliense